Leitura em voz alta e escrita: interferência positiva

Ler em voz alta pode contribuir no processo de apropriação da escrita por crianças. “As características da leitura em voz alta – a presencialidade atualizada pela voz e pelo olhar, a convocação do corpo sonoro e seu potencial para transmitir cultura – são significantes e podem interferir positivamente no processo de apropriação da escrita”, defendeContinue a ler “Leitura em voz alta e escrita: interferência positiva”

Dislexia: treinamento da correspondência grafema-fonema

  A dislexia é caracterizada como um distúrbio específico de aprendizagem, de origem neurológica. É caracterizado pela dificuldade com a fluência correta na leitura, além de dificuldade na habilidade de decodificação e soletração, resultante de um déficit em componentes da linguagem. As pesquisadoras Daniele de Campos Refundini, Maíra Anelli Martins e Simone Aparecida Capellini, autorasContinue a ler “Dislexia: treinamento da correspondência grafema-fonema”

Treino em consciência fonológica recupera atrasos em linguagem escrita

Atrasos de linguagem escrita, um problema que afeta número significativo de alunos brasileiros do Ensino Fundamental, podem ser revertidos por meio do treino em consciência fonológica, que é a capacidade de separar, de modo consciente, as palavras em suas menores unidades: sílabas e fonemas. É o que afirma a pesquisadora Neusa Lopes Bispo Diniz, autoraContinue a ler “Treino em consciência fonológica recupera atrasos em linguagem escrita”