Filhos-prodígio obrigam os pais a redesenhar a vida

Ter um filho extremamente talentoso, ou superdotado, exige que os pais busquem novas comunidades: de pessoas com experiências semelhantes e de especialistas, que ensinam a esses pais estratégias para lidar com a excepcionalidade do filho. Os pais assumem, assim, não só seu repertório de conhecimento menor do que o do filho, mas também seu próprioContinue a ler “Filhos-prodígio obrigam os pais a redesenhar a vida”

Prodígio e superdotação: número de crianças precoces não corresponde à expectativa de dotação

Muitos pais e profissionais de educação consideram como superdotadas crianças com grande facilidade para aprender determinada habilidade. As pesquisadoras Zenita Cunha Guenther e Carina Alexandra Rondini, entretanto, observam que há mais crianças precoces que a probabilidade esperada de dotação, enquanto muitas pessoas dotadas não foram prodígios ou sequer precoces. “A noção de prodígio seria mais bem-considerada comoContinue a ler “Prodígio e superdotação: número de crianças precoces não corresponde à expectativa de dotação”