A inteligência de crianças com autismo

A inteligência de crianças com autismo é subestimada? Essa é a pergunta que muitos pais e professores se fazem, e também foi feita pelas pesquisadoras Anne-Marie Nader, Valérie Courchesne, Michelle Dawson e Isabelle Soulières. Para tentar respondê-la, elas escreveram o artigo “O WISC-IV subestima a inteligência de crianças autistas?” (tradução livre do original em inglêsContinue a ler “A inteligência de crianças com autismo”

Diferenças e semelhanças entre superdotação e Asperger

Quais as diferenças e semelhanças entre pessoas com altas habilidades/superdotação e com Síndrome de Asperger? Interessadas em conhecer o que já havia sido publicado sobre isso em periódicos científicos na área de educação, duas pesquisadoras consultaram artigos publicados entre 2000 e 2011. Nara Joyce Wellausen Vieira e Karolina Waechter Simon observaram que as necessidades educacionaisContinue a ler “Diferenças e semelhanças entre superdotação e Asperger”

O ato de conversar para pessoas com déficit cognitivo

O ato de conversar é uma das bases dos relacionamentos, e muita gente acha que é um processo tão fácil e natural quanto respirar, algo que fazemos automaticamente quase sempre sem perceber. Conversar, entretanto, é algo bastante complexo, pois exige o exercício simultâneo de uma série de habilidades. Essas habilidades podem ser comparadas aos músicosContinue a ler “O ato de conversar para pessoas com déficit cognitivo”

Autismo: ensinando habilidades de comunicação social

A modelagem comportamental é reconhecida há muitos anos como uma estratégia eficaz de ensino para crianças com autismo. Normalmente, os modelos de comportamento desejados são apresentados à criança por meio de encenações, ao vivo, pelos pais, educadores ou terapeutas. Uma vez que as crianças passam uma grande parte de seu tempo em instituições, desde aContinue a ler “Autismo: ensinando habilidades de comunicação social”

Sinais de autismo: família e educadores são os primeiros a perceberem

A família é a primeira a perceber alterações no desenvolvimento da criança autista, como constataram os pesquisadores Maria Del Sol Fortea Sevilla, Maria Olga Escandell Bermúdez e José Juan Castro Sánchez. Autores de uma pesquisa que investigou a idade em que surgem as primeiras suspeitas de autismo, a que profissionais a família recorre e oContinue a ler “Sinais de autismo: família e educadores são os primeiros a perceberem”

Sistema TEACCH: terapia e educação de crianças autistas

  O sistema TEACCH (sigla do nome em inglês, Treatment and Education of Autistic and Related Communication Handicapped Children) utiliza currículos fortemente estruturados e limites para manter autistas em suas tarefas, concentrados na aula. Os horários de aula são personalizados para cada criança e utilizam os pontos fortes do autista como reforço durante todo oContinue a ler “Sistema TEACCH: terapia e educação de crianças autistas”

Sistema PECS e autismo: comunicação por figuras

O sistema PECS, sigla do inglês Picture Exchange Communication System é frequentemente utilizado em indivíduos com autismo e/ou pouca fala funcional. É um sistema de comunicação por meio de trocas de figuras, e ocorre em seis fases: 1) Fazer pedidos através da troca de figuras pelos itens desejados; 2) Ir até a tábua de comunicação, apanhar umaContinue a ler “Sistema PECS e autismo: comunicação por figuras”

Educação de crianças autistas

Análise de Comportamento Aplicado é um método de disciplina que pode ser adotado por educadores de crianças autistas. O método utiliza sinais encontrados ao redor do autista para influenciar comportamentos adequados ao ambiente escolar. Primeiramente, o educador procura descobrir quais os disparadores de comportamentos negativos do autista, e também o que acontece antes e depois.Continue a ler “Educação de crianças autistas”

Redes de apoio em autismo

Para pais de crianças autistas, os profissionais e serviços envolvidos no diagnóstico e no tratamento podem representar uma aliança importante ou uma fonte de estresse. Esses profissionais e serviços de saúde são os principais representantes da rede de apoio aos familiares, e portanto é fundamental que a família sinta-se amparada por eles. “Esta rede tendeContinue a ler “Redes de apoio em autismo”

Autismo e esquizofrenia: fatores em comum

Esquizofrenia e autismo, apesar das diferenças na idade em que se manifestam e no perfil clínico, são igualmente ainda pouco compreendidas por especialistas. É possível que as duas condições tenham algo mais em comum, conforme acreditam os pesquisadores J. Hamlyn, M. Duhig, J. McGrath e J. Scott, que revisaram a literatura científica sobre os doisContinue a ler “Autismo e esquizofrenia: fatores em comum”