Interessados em descobrir se crianças com diagnóstico de Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) apresentam desempenho em tarefas de leitura diferente do apresentado por crianças sem o transtorno, quatro pesquisadores realizaram cinco experimentos psicolingüísticos. Os resultados foram apresentados no estudo “Processamento da linguagem no Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)”.

Guiomar Albuquerque,Marcus Maia, Aniela França, Paulo Mattos e Giuseppe Pastura, autores do estudo, observaram índices de acertos similares entre o grupo de alunos com o diagnóstico e o grupo controle, formado por alunos sem TDAH. “As latências foram significativamente maiores para o grupo de sujeitos com TDAH, demonstrando que eles têm a capacidade de chegar a um mesmo resultado, porém necessitam de mais tempo do que o grupo controle”, ressaltam.

O resultado, destaca o estudo, sugere que pode haver um problema de processamento da linguagem intrínseco ao TDAH. “Os resultados dos cinco testes foram em direção às nossas hipóteses”, afirmam os pesquisadores. “Esses achados demonstram que os portadores de TDAH não têm problemas no módulo de representação, mas sim no de acesso da faculdade de linguagem”.

Os resultados, segundo o estudo, demonstram ainda que as medidas cronométricas on-line e off-line no processamento de palavras e frases pode auxiliar na detecção mais segura de problemas de linguagem. “Cabe lembrar que resultados similares foram encontrados em todos os experimentos aplicados, com metodologias diferentes entre si, o que confere mais robustez aos nossos achados”.

Texto escrito por Silvana Schultze, do blog www.meunomenai.com

Para conhecer o estudo completo, acesse o link: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-44502012000200003&script=sci_arttext