Crianças usuárias de implante coclear apresentaram valores acústicos próximos aos apresentados pelas crianças ouvintes normais, em estudo comparativo entre os parâmetros vocais freqüência fundamental, frequência do primeiro formante e frequência do segundo formante. Os resultados foram observados no estudo “Diferenças entre parâmetros vocais em crianças usuárias de implante coclear e em crianças usuárias de aparelho de amplificação sonora individual”.

A audição normal, destaca o estudo, fornece feedback adequado para o controle da voz e da fala. “Crianças dependem do feedback fornecido pela audição para controlar a duração, a frequência fundamental (f0) e os formantes na produção das vogais”.

A autora, Lourdes Bernadete Rocha de Souza, ressalta que embora o Implante Coclear não restaure a experiência da percepção do som da mesma maneira em que é percebida pelo ouvinte normal, ele fornece ao usuário um melhor feedback auditivo, oportunizando sua competência comunicativa. “Com exceção do primeiro formante da vogal [a] da silaba [pa] que apresentou diferença estatisticamente significante entre os valores dos grupos de usuários de implante coclear e do grupo de ouvintes normais, os demais parâmetros apresentaram diferença estatisticamente significante entre os três grupos”, aponta a pesquisadora. 
O estudo conclui que as crianças desse estudo, usuárias de implante coclear, apresentaram valores de parâmetros acústicos próximos dos valores obtidos pelas crianças ouvintes normais, sendo esses valores mais adequados que os valores apresentados pelas crianças usuárias de aparelho de amplificação sonora individual.

Texto escrito por Silvana Schultze, do blog www.meunomenai.com

Para conhecer o estudo completo, acesse o link: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013000300014&lang=pt