O rock pesado (Heavy Metal) muitas vezes está associado à delinquência e ao baixo rendimento escolar. Este estereótipo, entretanto, ficou abalado com a publicação dos resultados de pesquisa realizada pela Universidade de Warwick, no Reino Unido. As pessoas afixionadas por rock pesado, segundo o estudo, são extremamente inteligentes e utilizam a música como forma de auto-ajuda para ajustarem-se melhor à sociedade.

Sutart Cadwallader, psicólogO autor da pesquisa, afirma que essa estratégia é mais utilizada pelas pessoas com altas habilidades/superdotação que também apresentam auto-estima abaixo da média. “Existe uma crença de que pessoas com altas habilidades tendem a gostar de música clássica, e acredito que esse estereótipo é inadequado”, ressalta.

O psicólogo afirma que a predileção por este estilo de música não deve preocupar os pais. “É simplesmente algo catártico, e não um indicador de problemas”, alerta. O termo “catártico”, usado pelo pesquisador para apontar a sensação que os participantes da pesquisa sentem ao ouvir rock pesado, tem origem na palavra grega “catarsis” (em português, catarse), e significa “limpeza da alma”.

Os participantes da pesquisa afirmaram ainda ouvir rock pesado quando estavam de mal-humor, utilizando a música para diminuir suas frustrações e também o tédio. “Não dá para descarregar a raiva com outro tipo de música”, afirmou um dos participantes.

Texto escrito por Silvana Schulte, do blog http://www.meunomenai.com