Imagem

Quais os processos psicológicos, pedagógicos e sociais que acontecem na vida de uma pessoa superdotada ao longo de sua vida? O estudo “Altas Habilidades/Superdotação: abordagem ao longo da vida” analisa aspectos do desenvolvimento humano e da personalidade na infância, adolescência e vida adulta, dentro da denominada abordagem life-span (ao longo da vida).

Os autores, Juan José Mosquera, Claus Dieter Stobäus e Soraia Napoleão Freitas chamam atenção para a ideia de que existem dois tipos de adultos superdotados: os adaptados e os não-adaptados.” Esta diferenciação cria a grande expectativa de que é necessário educar estas pessoas desde crianças, para que possam ter um melhor encaminhamento em suas vidas desde cedo”, ressaltam.

De acordo com o estudo, durante a vida adulta pessoas intelectualmente superdotadas também dispõem de capacidades, potencialidades e recursos que facilitam sua adaptação ao meio. “Porém, devemos levar em conta a importância das relações com o entorno, no qual as pessoas se desenvolvem, favorecendo (ou não) o seu desenvolvimento global”.

Os pesquisadores destacam a importância da educação para que, no futuro, pessoas com altas habilidades/superdotação sejam mais aceitas, entendidas e com maiores possibilidades de estímulo aos seus talentos. “Acreditamos que podemos encontrar pessoas com Altas

Habilidades/Superdotação motivadas para sua realização e desenvolvimento cognitivo, afetivo e social”, concluem.

Texto escrito por Silvana Schultze, do blog http://www.meunomenai.wordpress.com

Conheça o estudo completo no site: http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/educacaoespecial/article/view/5371/pdf