Imagem

Consolidação de uma rede de aprendizagem colaborativa, que pode ser aplicada a favor da atenção primária à saúde auditiva é um dos resultados do Projeto Jovem Doutor Bauru, voltado à capacitação de alunos do ensino médio sobre o tema saúde auditiva. “Estima-se, no Brasil, que 24,5 milhões de pessoas, ou 14,5% da população total, apresentaram algum tipo de incapacidade ou deficiência”, destacam os autores do estudo “Projeto jovem doutor bauru: capacitação de estudantes do ensino médio em saúde auditiva”. “Destas, 5,7 milhões, ou 16,7% possuem deficiência auditiva, o que a classifica como a terceira maior deficiência no país, seguida da deficiência motora (22,9%) e visual (48,1%)”, ressaltam Wanderléia Quinhoeiro Blasca,  Mirela Machado Picolini, Andressa Sharllene da Carneiro da Silva, Karis de Campos, Ghiedree Fernanda Ramos Pinto, Alcione Ghedini Brasolotto, Katia de Freitas Alvarenga, Luciana Paula Maximino e Giédre Berretin-Felix.

Participaram do programa 14 estudantes do ensino médio de duas escolas da rede pública, em três etapas: atividade presencial, tutoração on line e atividade prática. Seguindo a proposta do Projeto Jovem Doutor, os alunos multiplicaram o conhecimento adquirido sobre saúde auditiva, através de uma feira expositiva, em suas respectivas escolas. “O Projeto Jovem Doutor possibilitou também a integração dos alunos participantes com a Universidade e da Universidade para com a comunidade, constituindo uma rede de aprendizagem colaborativa”, concluem os pesquisadores.

O projeto foi elaborado, entre outros fatores, com base na constatação de estudos apontando a deficiência auditiva como, dentre todas as deficiências humanas, uma das mais devastadoras em relação à comunicação do indivíduo para com a sociedade, uma vez que pode prejudicar o desenvolvimento escolar e, consequentemente, o profissional.

O projeto Jovem Doutor apresenta ainda aos jovens a oportunidade de iniciação científica, o exercício de cidadania, a inclusão digital e o aprendizado sobre temas relacionados à saúde. O estudo foi desenvolvido por meio de uma parceria entre o Departamento de Fonoaudiologia da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB/USP) e a Disciplina de Telemedicina do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (DTM/FMUSP), como parte da proposta do projeto contemplado pelo Edital Instituto do Milênio – CNPq – “Estação Digital Médica: estratégia de implementação e ampliação da Telemedicina no Brasil, desde o ano de 2005”.

Artigo escrito por Silvana Schultze, editora do blog http://www.meunomenai.wordpress.com

Conheça mais sobre o projeto no site: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013005000035&lng=pt&nrm=iso