Imagem

Ajudar a compreender os significados que as mulheres dão à amamentação, e como eles interferem na construção do vínculo entre mãe e filho foi o objetivo da pesquisadora Fernanda Paula Cerantola Siqueira. “A percepção dos sentimentos de amor e carinho, gerados neste processo do cuidar da criança, sofre retroalimentação contínua e crescente, resultado da interpretação materna em perceber a retribuição do apego da criança pela mãe, pelos gestos e pela necessidade demonstrada de proximidade por ambos”, destaca.

Autora da tese de doutorado “O significado da amamentação na construção da relação mãe e filho: um estudo interacionista simbólico”, defendida na Escola de Enfermagem da USP, Fernanda Paula Cerantola Siqueira explica que o significado que as mulheres dão à amamentação pode ser analisado a partir de quatro aspectos: o momento em que a mulher descobre-se grávida, o momento em que ela tem que cuidar da criança, a própria vivência da amamentação e a construção da relação com o filho.

A pesquisadora ressalta que na continuidade da construção da relação, outros elementos são descobertos e atribuídos como determinantes significativos, sendo a presença materna o elemento simbólico mais forte dessa construção, que abrange o estar grávida, amamentar e continuar no cuidado ao filho. “Nesse processo, a amamentação é interpretada como um forte elemento interacional simbólico entre a mãe e o bebê, propiciando a descoberta de sentimentos mútuos, e um significado de forte elo de ligação”, conclui.

Conheça o estudo completo no site: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-22082012-110210/pt-br.php