Diversificando a alimentação de autistas: passos para aumentar a tolerância a novos sabores e texturas

Imagem

A alimentação de crianças e adolescentes autistas pode ser uma dificuldade para muitos pais, mas a adoção de algumas estratégias pode diminuir a resistência a novos sabores e texturas. Uma sequência de passos que consideram a tolerância, a interação da criança ou adolescente com a comida e seus sentidos de tato e olfato, podem ajudar com que o autista experimente o alimento, e, finalmente, o adote como parte de suas preferências e hábitos alimentares.

Na etapa de tolerância, a sugestão é que inicialmente o novo alimento seja colocado no mesmo ambiente que a criança ou adolescente. Em seguida, na mesma mesa em que ele se alimenta, porém do lado oposto de onde ele está sentado. Os próximos passos são colocar o alimento na metade do cominho da mesma mesa, depois a uma pequena distância e por fim no mesmo espaço em que ele come. Assim como nas outras etapas, a passagem de uma fase para outra depende de cada criança, e os pais ou cuidadores decidirão o momento de avançar após avaliar a reação e aceitação a cada passo.

Na etapa de interação, a criança ou adolescente deve assistir à preparação do alimento e colocá-lo na mesa. Em seguida, irá esvaziar o recipiente do alimento, despejando-o dentro de outro recipiente. Essa ação será feita primeiramente fora do espaço próprio de alimentação, e em seguida, no próprio espaço. Por fim, o alimento será despejado do recipiente dentro do próprio prato da criança ou adolescente.

Na etapa de estimulação ao olfato, a criança ou adolescente deverá sentir o cheiro do alimento dentro da casa. Em seguida, ao redor da mesa em que se alimenta, e então no espaço próprio de alimentação. Por fim, ele deve ser incentivado a pegar um pedaço do alimento para cheirá-lo diretamente.

Na próxima etapa, do tato, a criança ou adolescente deve ser estimulada a mexer no alimento com a ponta de um dedo. Depois, com as pontas de todos os dedos, e então com toda a mão. Em seguida, a sugestão é que a criança ou adolescente toque o alimento com os próprios braços e ombros; depois, com a parte superior da cabeça; em seguida, com as bochechas, e por fim, com a parte inferior do nariz.

Finalmente chega-se ao momento de experimentar o alimento, e inicialmente deve-se orientar a criança ou adolescente a encostar o alimento em seus lábios ou colocá-lo entre os dentes. Em seguida, a lambê-lo. Depois, a morder um pedaço, cuspindo imediatamente. Na próxima fase, deverá morder alguns pedaços, mantendo-os na boca alguns segundos antes de cuspí-los. Em seguida, deverá morder e mastigar por alguns segundos, antes de cuspir. Então, será a hora de mastigar e engolir alguns pedaços, cuspindo os demais. Logo será a vez de mastigar e engolir todo o alimento com a ajuda de água, para finalmente mastigar e engolir de forma independente.

Com paciência e perseverança, ao final dessa sequência a criança ou adolescente poderá ter aprendido a comer com tranquilidade e satisfação um novo alimento.

Escrito por Silvana Schultze, editora do blog http://www.meunomenai.wordpress.com

Fonte: Desafiando al autismo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s